Residências para lazer e recreação cresce nos últimos dez anos.

abril 13, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: comportamento 

Nos últimos 10 anos, o número de residências  para lazer e recreação cresceu mais rápido do que volume de residências utilizadas como primeira moradia, conforme mostra pesquisa do Data Popular, publicada nesta terça-feira (10).

A quantidade de casas na praia ou no campo utilizadas como segunda residência cresceu 46,45% em uma década. Já o volume de moradias fixas se expandiu 24,35% no mesmo período.

Nova classe média se destaca

Os dados mostram que, no período analisado, o Brasil ganhou 1,25 milhão de residências exclusivas para o lazer. Atualmente são 3,94 milhões de imóveis para esse fim. E é a nova classe média responsável pela maior parte dessas casas.

Dos apartamentos e casas utilizados como segunda moradia, 37,1% ou 1,460 milhão pertencem à essa classe. Outros 31,8% (1,250 mi) são da classe A e 31,1% (1,230 mi) pertencem à classe B.

Por fim, o estudo ainda revelou que as capitais que concentram os maiores percentuais de população como casa na praia ou no campo utilizada ocasionalmente como segundo lar são, na ordem, Porto Alegre, Curitiba e São Paulo.

Por: Viviam Klanfer Nunes

Fonte: InfoMoney

Localização é um fator fundamental na hora de comprar imóvel.

abril 13, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: comportamento 

A localização parece ser o fator fundamental na hora dos jovens escolherem um local para morar. Eles buscam, principalmente, casas ou apartamentos próximos a supermercados, farmácias e shoppings e também perto de onde estudam e trabalham.

Estar próximo aos pontos de acesso ao transporte público também é um diferencial. De acordo com o diretor comercial e de localizações da Primar Administradora de Bens, Carlos Freitas, os bairros centrais estão entre as primeiras opções daqueles que têm ente 15 e 25 anos.

Sem perder tempo

Essas preferências se justificam pela aversão do jovem em perder seu tempo, já que, morando longe dos locais de onde trabalham e estudam, ele passa muito tempo no trânsito, enquanto poderia estar estudando ou mesmo se divertindo.

O perfil dos jovens de hoje é bastante diferente, se comparado ao de outras gerações. Esse grupo que faz parte da geração Y é composto por indivíduos que possuem maior nível de escolaridade e que conseguem alavancar sua carreira de forma mais rápida.

“Além disso, o acesso ao crédito está mais fácil e existem várias opções que ajudam na hora de comprar ou alugar um imóvel”, afirma Freitas. Agora, o casamento não é mais o único motivo para sair de casa. O trabalho e o estudo são fatores importantes para tal decisão.

O tamanho

Além da localização, o tamanho do imóvel também é um ponto relevante. A procura por quitinetes cresceu consideravelmente. Os imóveis pequenos, que têm de um a dois quartos, normalmente são suficientes para acomodar os jovens. Os solteiros ou os casados que ainda não têm filhos usualmente dispensam grandes espaços.

Quando ainda são jovens, o foco da vida está na carreira e na formação profissional, por isso, a habitação deve atender às necessidades atuais e não futuras. O aluguel também é interessante, pois permite flexibilidade em caso de mudanças de planos.

Por: Viviam Klanfer Nunes