Internet e as negociações imobiliárias

setembro 29, 2011 by lmenezes · 862 Comments
Filed under: imobiliaria, Sem categoria 
A tecnologia é algo que não para de crescer. A tão badalada internet está cada vez mais forte no setor de negociações. Pessoas economicamente ativas estão quase todas interligadas via internet, usando da tecnologia, uma ferramenta para bons negócios. E o setor imobiliário não poderia ficar de fora. A construção civil segue forte e ganhou mais uma ajuda nas transações.
O gestor imobiliário, com toda a certeza, deve estar atento as novas tendências tecnológicas. A internet possui várias e várias opções de espaços para se produzir algo interessante. Desde websites pagos a redes sociais, que estão em alta nos últimos anos e possuem milhões de usuários fiéis. Aliado a programas de computador, é possível criar layouts e interfaces muito chamativas para um publico que não precisa se deslocar de casa para imaginar o imóvel dos seus sonhos. Também, se bem usada, oferece uma maior abrangência de informações e tem um custo menor se comparada as outras técnicas de publicidade, como classificados em jornais.
Porém, com a velocidade e várias opções de pesquisas, os clientes também têm uma poderosa “arma” em suas mãos. Com algumas investigações, qualquer um pode conferir se uma informação é correta ou não. Ou seja, deve-se tomar o maior cuidado possível com os dados que são colocados. Além disso, o cliente é criterioso. A concorrência é extensa e é necessário criar algo dinâmico e moderno, que seja atraente e que não perca o cliente em segundos. Outro ponto interessante é a segurança. Todos têm receios quando perguntados sobre algo pessoal. Logo, é preciso transmitir segurança ao usuário e credibilidade.
Com toda a certeza, os gestores imobiliários precisam estar treinados e capacitados para usufruir deste tipo de ferramenta. A tecnologia é indispensável. Porém, se usada indevidamente, pode acarretar severas e incalculáveis conseqüências para seu trabalho.
A internet é um meio muito pratico e rápido de divulgação, que podemos alcançar de uma só vez um numero enorme de propensos clientes. Porém, também não podemos chegar ao ponto de afirmarmos que existe uma substituição do trabalho pessoal, aquele que o corretor fala com o cliente “olho no olho”, visita a casa, arruma a papelada, vai com seu carro até o cartório… Será que algum dia todo o trabalho será 100% via internet? E hoje, quantos são os profissionais que estão preparados a encarar a poderosa internet? Você está?
Autor: Rodrygo Paulo
Fonte: www.publicidadeimobiliaria.com

Golpe do fiador de aluguel continua fazendo vítimas

julho 4, 2011 by lmenezes · 1.319 Comments
Filed under: Corretor, imobiliaria 
O golpe do fiador de aluguel é antigo, mas continua vitimando pessoas alheias ao contrato; o dono do imóvel; e o inquilino. Estelionatários clonam documentos, colocam anúncios na mídia oferecendo-se como fiadores, pelo que cobram preços módicos em relação ao mercado, e lançam a isca para uma ‘pescaria’ que pode ter desdobramentos catastróficos.

Sendo o inquilino bom pagador, quem teve seus documentos clonados, ao descobrir a fraude terá que se defender, acionando a Justiça. Perderá tempo e empregará dinheiro, mas outras vítimas de igual delito podem ser ainda mais prejudicadas.

No caso de inquilino mau pagador, pode ocorrer que o “fiador compulsório” – aquele que teve seus documentos clonados – só descubra o engodo quando, ao solicitar crédito, for informado que seu nome está vinculado à inadimplência de uma locação que nunca garantiu. Pior ainda se descobrir somente quando sua casa for a leilão.

Quanto ao dono do imóvel e no caso de inadimplência, ao ser descoberta a fraude nem mesmo as prerrogativas a ele concedidas pela Lei do Inquilinato em vigor darão agilidade ao processo que lhe restituirá a posse do bem e o ressarcimento do que lhe é devido.

Quanto ao inquilino, mostra o histórico, fatalmente será a segunda vítima de clonagem dos documentos. Usualmente, os falsos fiadores abrem contas bancárias em seu nome, obtêm e/ou fabricam talões de cheques e cartões de crédito, utilizando-os no Brasil inteiro, pois fazem parte de uma rede, infelizmente muito eficiente no que faz.

É importante levar em conta que a figura do fiador profissional é legal, e nada impede que ele ofereça seus serviços. Contudo, deve precaver-se o inquilino, peça-chave para os falsos fiadores iniciarem a sequência de golpes.

Anúncios na mídia – Usualmente, os falsos fiadores ofertam seus “serviços” através de anúncios na mídia, utilizando a seção onde os verdadeiros fiadores anunciam.

Antes de contratar um fiador a partir de anúncio na mídia, solicite referências. O mais conveniente é obter o endereço e o telefone de imobiliárias que possuem inquilinos com aluguéis garantidos por ele. Explique claramente porque o pedido está sendo feito. Se houve recusa, desconfie.

Problemas com crédito – Há uma característica nos anúncios de falsos fiadores. É hábito deles incluíram um “apelo chamariz” no texto, oferecendo fiança mesmo para quem tem problemas nos serviços de proteção ao crédito.

Também neste caso, desconfie. Quem está com problemas de crédito e precisa alugar imóvel tem como saída oferecer depósito (usualmente, valor correspondente a três meses de aluguel).

Ainda que o candidato a inquilino tenha seu nome anotado nos serviços de proteção ao crédito, mas está com sua conta bancária ativa, não é inadimplente junto ao banco e tem como provar que é bom pagador de aluguel, tem grandes possibilidades de contratar um seguro fiança locatícia.

Ó custo do seguro fiança locatícia é variável, de acordo com a análise de risco feita pela instituição (banco ou seguradora) que o concede. Em media, equivale a 1,2 aluguel, ao ano; pode ser dividido em até dez vezes; e pode incluir atendimento a reparos simples, como pequenos vazamentos.

Denúncias de clonagem de documentos – Uma relação de pessoas que tiveram seus documentos clonados e têm seus imóveis ofertados em garantia locatícia por falsos fiadores está disponível no site do Conselho de Corretores de Imóveis no Estado de São Paulo. 

Terra

Dicas para um Alugar Imóvel

julho 1, 2011 by lmenezes · 682 Comments
Filed under: imobiliaria 

Dicas para um Alugar Imóvel

dicas para alugar imovel
Se você pretende alugar um imóvel recentemente, as dicas  deste artigo podem ajudar você a fazer este trabalho de forma mais interessante. Depois de ler as dicas abaixo, você vai ter mais facilidade em encontrar um bom imóvel, por preços mais acessíveis nos melhores locais da cidade.

Alugar um imóvel, por incrível que pareça, não é uma tarefa muito fácil. Deve-se levar em conta sempre todos os fatores que envolvem uma locação de um imóvel, como por exemplo os avalistas, a possibilidade de adiantar alguns aluguéis e também alguns impostos que são cobrados pelas imobiliárias. Algumas também cobram multas por quebras de contrato e danos no imóvel que invariavelmente você vai ter que pagar para não ter nenhum tipo de problema posterior.

Se você está realmente interessando em saber como alugar um apartamento, lembre-se que dependendo do estado em que você mora, este processo pode ser muito diferente.

Por exemplo, no estado de SP, algumas imobiliárias oferecem imóveis apenas para clientes que tem avalistas ou fiadores, além de ter de comprovar que você possui um imóvel em seu nome. Além disso a maioria das imobiliárias pede para que você tenha uma renda mensal 3 vezes maior que o valor mensal de seu aluguel.

Vale lembrar que mesmo que tudo esteja em ordem, você pode ter que esperar ainda mais algumas semanas antes de se mudar para seu novo imóvel.

Uma das principais dicas para quem está interessado em alugar um imóvel rápido  é pesquisar muito. Vá em no mínimo 5 imobiliárias diferentes. Uma dica muito valiosa é você pesquisar também na internet – existem dezenas de sites especializados em exibir anúncios de imóveis para alugar sem fiador. Você pode filtrar os resultados e encontrar um imóvel que caiba em seu bolso.

 

Muitos corretores de imóveis não gostam da administração de imóveis, mas podem ter certeza que é uma fatia do mercado imobiliário muito interessante e lucrativa.

julho 1, 2011 by lmenezes · 566 Comments
Filed under: imobiliaria 

São Paulo – Pelo segundo mês consecutivo, a caderneta de poupança registrou captação líquida negativa, com total de R$ 1,301 bilhão em maio. Os depósitos chegaram a R$ 107,404 bilhões, e as retiradas, a R$ 108,706 bilhões. No mês de abril a diferença foi de R$ 1,762 bilhões, segundo dados do Banco Central. Para analistas, os números revelam a saída de investidores para linhas mais lucrativas, já que em cenário de alta nas taxas de juros e inflação a poupança demonstra baixa rentabilidade.

O aumento dos valores retirados, contudo, afeta diretamente o crédito imobiliário. De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), os financiamentos para a carteira com recursos da poupança atingiram a marca dos R$ 6,16 bilhões no mês de abril, acréscimo de 42% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Em maio, o volume de crédito para imóveis atingiu 62% dos depósitos dessa linha de investimento, afirmou Dyogo Oliveira, secretário adjunto do Ministério da Fazenda.

A representatividade do tipo de investimento fica nítida no balanço do primeiro trimestre da Caixa Econômica Federal, que tem como “carro-chefe” de sua carteira o crédito imobiliário, responsável por 61,5% das operações. O saldo totalizou R$ 113,1 bilhões, acréscimo de 50% em relação a março de 2010 e de 8% na comparação com o último trimestre de 2010.

A poupança é a principal fonte de recursos para esta linha de financiamento, com captação de R$ 61,7 bilhões nos três primeiros meses de 2011, o que representa 52,7% de participação. O FGTS totalizou R$ 55,02 bilhões.

Sobre o primeiro trimestre, o vice-presidente de Controle e Risco da Caixa, Raphael Rezende Neto, afirmou que o fato não reflete a posição atual da instituição financeira. “Observamos que o mercado teve queda na poupança. Apesar disso, a Caixa aumentou a participação, já que saiu de 33,9% no primeiro trimestre do ano passado para 34,5% nos primeiros meses deste ano. Também já observamos crescimento na captação em torno de R$ 1 bilhão em maio. Por esses motivos, a captação em poupança não prejudica o funding para o imobiliário”, concluiu o executivo.

No entanto, fontes do mercado financeiro apontaram que a Caixa já realiza um estudo para fontes de captação de recursos complementares à poupança.

Para Celso Grisi, economista e diretor presidente do Instituto de Pesquisa Fractal, a principal fonte de recursos para financiamento de imóveis continuará com a poupança, e por esse motivo o Banco Central e o Ministério da Fazenda devem tomar medidas para aumentar o pagamento próximo da taxa básica de juros, a Selic, que está em 12% ao ano. “Se essa fonte ficar ainda mais escassa, tende a encarecer o crédito imobiliário. O governo terá de recompor a remuneração financeira, que será repassada para os agentes financeiros e, assim, para os consumidores.”

No período de 1º de maio a 1º de junho de 2011, a remuneração dos depósitos em poupança estava em 0,65% ao mês, o que corresponde a 0,5% a.m. mais TR, que no período ficou em 0,15%.

No que se refere ao destino dos investimentos retirados da poupança, o mercado de renda fixa é apontado por analistas como a melhor alternativa. Até 31 de maio de 2011 a captação líquida no mês totalizou R$ 3,354 bilhões. Na soma do ano, o valor chegou a R$ 47,492 bilhões, de acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

“Os títulos privados de renda fixa chegam a 12,83% ao ano. Mesmo se se retirar o imposto de renda, esse investimento dá rentabilidade de mais de 50% do que a poupança, cerca de 9% a.a.”, afirmou Clodoir Vieira, economista-chefe da Sousa Barros Corretora. Para o especialista, a Selic deve baixar a 9% ou 10% a.a., e a inflação, a 2% ou 3%, para que a poupança volte a ser rentável.

Fonte: DCI

O que é uma boa Administração de locação

julho 1, 2011 by lmenezes · 1.027 Comments
Filed under: imobiliaria 

Muitos corretores de imóveis não gostam da administração de imóveis, mas podem ter certeza que é uma fatia do mercado imobiliário muito interessante e lucrativa.

Não tem o retorno financeiro de imediato, como uma venda, mas a longo prazo é um bom negócio.

Interessante por fazer grande amizade entre os proprietários dos imóveis administrados que no decorrer do tempo tornam-se amigos, compartilhando bons e maus momentos. E o mais gratificante, apresentando outras pessoas que se transformam em grandes clientes de administração e venda.

Lucrativo do ponto de vista de poder contar todos os meses com aquela receita; fazer planejamento dentro do seu próprio escritório; gerar empregos e garantia de estabilidade a seus colaboradores e em momento de crise no setor de venda; garantir o pagamento de todas as despesas dentro da sua imobiliária.

O que é preciso para ser um bom administrador?

- Honestidade ao receber o imóvel para administrar; ter consciência e obrigação de fazer sempre o melhor para o proprietário e ao receber o aluguel repassar imediatamente ao locador, tirando a sua porcentagem.

- Avaliação Correta dentro dos parâmetros de mercado, verificar o real estado do imóvel, aconselhar ao proprietário, que ao entregar o imóvel para locação, deve estar o mesmo em perfeito estado.

- Pesquisar o Locatário verificando a idoneidade do interessado e seu fiador, dando opção de apresentar outras garantias, sempre analisando quanto a rapidez na retomada do imóvel e pagamento do valor devido.

- Elaboração do Contrato com todas as garantias para locador e locatário.

- Informática – Ter dentro do seu escritório um sistema bem alinhado a TI (Tecnologia da Informação), permitindo armazenamento, o acesso e o uso da informação através dos recursos de computação.

- Orientação Jurídica – As leis mudam e é necessário, esclarecer e tirar dúvidas, sobre assuntos relacionados ao contrato de locação, quando solicitado, acima de tudo, manter-se sempre atualizado.

Estamos no mercado há 104 anos e administração de locação é a principal atividade atualmente, de nosso escritório, aconselho a todos que tenham imobiliária, a seguir nosso caminho. (Aida Maria Costa Marques, vice-presidente do Sciesp e curadora do Museu da Intermediação Imobiliária)

Tecnologia QR-Code – Será uma substituta para as tradicionais placas?

julho 1, 2011 by lmenezes · 1.141 Comments
Filed under: imobiliaria 
Apolar Imóveis, uma das maiores redes de franquias imobiliárias do País, inovou ao utilizar placas com QR codes para auxiliar na comunicação e venda de seus imóveis.

O Quick Response Code (QR-Code), uma tecnologia japonesa, trata-se de um código de barras bi-dimensional impresso na superfície da placa que pode ser interpretado rapidamente através de câmeras digitais em formato VGA, como as de telefones celulares, por exemplo. A tecnologia já é disseminada no Japão – cerca de 85% dos usuários de telefonia móvel a utilizam .

Apesar de existir há mais de 16 anos, O QR-Code ainda está engatinhando por aqui. Ainda assim, a APOLAR decidiu em parceria com a LAUSAC, grupo de comunicação, implantar o código juntos as placas da Apolar, como uma maneira de popularizar o uso a tecnologia, pela praticidade, velocidade de acesso e quantidade de informações importantes em tempo real, que o cliente que está a procura de um imóvel tem a necessidade de saber.
Segundo pesquisas de desempenho de mídia realizadas pela Apolar, as placas em imóveis estão disparadas em primeiro lugar, ou seja, o cliente ainda prefere sair de carro para procurar um imóvel, para só depois pesquisar na internet e no jornal.
Como funciona? – O processo é muito simples: ao encontrar um imóvel Apolar Personnalité, o cliente que possuir um telefone celular com acesso a internet e o decodificador instalado (o programa é gratuito e pode ser baixado diretamente pelo aparelho) só tem o trabalho de direcionar seu aparelho para a placa da Apolar com o QR-Code e fotografar. Imediatamente, o navegador do aparelho irá acessar o Portal Imobiliário da Apolar e apresentar todas as informações sobre o imóvel.

“Com essa ação desejamos beneficiar a princípio, esse cliente que ainda prefere sair por conta própria em busca do imóvel em seu bairro de preferência, para que ele tenha rapidamente todas as informações do imóvel em seu celular”, afirma Cassiano Pires, da Lausac.

Com a tecnologia QR-Code, a Apolar Imóveis cria um diferencial dentro do mercado imobiliário e deixa o processo de procura de imóvel mais rápido, completo e ainda com mais segurança.

 

___________________________________________________
Com a popularização cada vez mais crescentes de celulares e smartphones, e consequentemente com o aumento de pessoas com acesso a internet em seus aparelhos, não tenho dúvida que o cenário QR-Code poderá ser sim em um futuro não muito distante, uma mídia habitual para todos. Será um substituto para as tradicionais placas?
Poderá também gostar de: