Investidores preferem investir em imóveis comerciais nos últimos anos

março 31, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: investidor 

Investidores com mais de US$ 25 milhões no caixa escolheram comprar imóveis comerciais nos últimos anos, revela um estudo sobre riqueza feito pela consultoria Knight Frank e pelo Citi Private Bank. O dinheiro privado investido em escritórios, que somava US$ 41,6 bilhões em 2009, chegou a US$ 70,6 bilhões em 2011. Isso significou uma alta de 69,7% nesse tipo de investimento, num período em que o PIB global cresceu 9,62%.

No ano passado, 51% dos ricos afirmam ter ficado mais interessados em escritórios, diz o estudo. “Os investidores estão cientes de que um ponto de inflexão deve acontecer a qualquer momento na economia. Propriedades compradas pelos preços atuais irão parecer um bom negócio”, diz James Roberts, chefe de pesquisa comercial da Knight Frank.

Londres foi a capital que mais chamou a atenção dos investidores endinheirados. O volume de fundos investidos na cidade chegou a R$ 26,5 bilhões em 2011. Os investidores globais consideram a cidade um porto seguro para o dinheiro, além de a maioria ter como língua nativa ou segundo idioma o inglês. Paris, Frankfurt e Hong Kong também aparecem como destaques.

“Eu aconselho investidores estrangeiros, a maioria do oriente, que querem comprar em Londres. Muitos ficam surpresos com a competição que encontram por lá, onde se deparam com muitos outros compradores estrangeiros de participações”, diz Jeremy Waters, sócio no departamento internacional da Knight Frank.

O estudo pondera que parte desses investidores tirou vantagem da queda no preço dos imóveis após a crise de 2008, o que ajudou a elever o investimento em escritórios.

Fonte: iG São Paulo

Dicas para investir em imóveis comerciais

janeiro 18, 2012 by lmenezes · 1.153 Comments
Filed under: investidor 

Para investir em imóveis, é necessário avaliar o local em que o espaço está situado e como é sua vizinhança, para evitar surpresas desagradáveis.

A compra da casa própria faz parte do sonho de muitos brasileiros, porém, comprar um imóvel é mais que uma necessidade, é um investimento. Mesmo que a pessoa só tenha uma única casa como propriedade o dinheiro está investido, pois de acordo com a localização, a conservação e as reformas do espaço, o imóvel estará se valorizando a cada dia que passa, podendo trazer um retorno, se por acaso for vendido.

Comprar uma casa também é uma forma de investir sem correr muitos riscos, pois o dinheiro empregado no  imóvel  será recuperado facilmente com uma venda, ou em alguns meses de aluguéis. Para investir na compra de uma casa, é necessário analisar vários fatores para não tomar uma decisão precipitada. Para que a negociação seja bem-sucedida, é preciso avaliar o imóvel, e de preferência, com um profissional que entenda de valor de marcado.

Quando for visitar a casa, apartamento ou sala comercial que deseja comprar, veja o estado de conservação do local. Fique atento com relação a pontos que possam lhe causar problemas a curto prazo, como por exemplo, hidráulica e elétrica. Pergunte os motivos que levaram a pessoa a vender o imóvel, isso lhe ajudará a avaliar melhor os riscos da compra. Antes de concluir a negociação, veja outros locais na mesma região que estão a venda e que possua as mesmas características que você busca, pois pode ser que encontre algum outro ponto que esteja sendo vendido em melhores condições, tanto de preço, quanto de estado de conservação.

Os investimentos em imóveis são para alugar ou vender, por isso, a localização é fundamental. Se a sala que você comprou passa muitas pessoas, e está próximo à centros comerciais, com certeza irá interessar aos empresários que precisam de movimento de pessoas, passando a todo momento em sua porta. Agora se você investiu em uma casa próximo de escolas, postos de saúde e com pontos de ônibus, o local será procurado por pessoas interessadas em moradia. Por isso, avalie se o imóvel disponibiliza características locais que atendem as suas expectativas como investidor. Confira se a vizinhança é segura e se os serviços urbanos oferecidos atendem o seu público alvo.

Realize reformas e mantenha o espaço sempre concervado para alugá-lo ou vendê-lo. Nunca deixe de investir na melhoria do local, pois para que o seu capital tenha giro é  necessário aplicar em obras de infraestrutura  que melhore o espaço. Se preferir, acorde com o inquilino um abatimento no valor do aluguel em troca das obras que serão realizadas. Um imóvel em bom estado vale sempre mais, o que lhe trará maior rentabilidade.

Fonte: Mundo das Tribos

Mercado Imobiliário – Invista em imóveis de forma eficiente

novembro 17, 2011 by lmenezes · 717 Comments
Filed under: investidor 

Nas décadas de instabilidade inflacionária e governamental, era difícil pensar em aplicar o capital em instrumentos financeiros de longo prazo como fundos de investimentos e previdências, dado o alto risco de retorno dessas aplicações. Uma alternativa de aplicação que se tornava atrativa era a imobiliária, afinal de contas, o país se encontrava em um momento de forte déficit habitacional com franca expansão do comércio e urbanização, o que consequentemente, trazia valorização aos metros quadrados em quase todas as regiões.

Atualmente já não está tão fácil aplicar em imóveis e obter altos retornos. O que percebo é que excetuando os grandes investidores que possuem know how e capital para operar as oportunidades, cada vez mais o pequeno investidor recebe menos pelo seu capital nas posições imobiliárias (com retornos bem modestos entre 0,3 e 0,7% ao mês).

O investidor que se acostumou a ter valorização para o que quer que comprasse, já encontra dificuldades de valorização a depender da localização do seu imóvel. Não estou aqui falando sobre uma bolha imobiliária, muito pelo contrário, ainda trabalhamos com um forte crescimento imobiliário (principalmente habitacional) para os próximos 8 anos, mas apenas que, não basta mais comprar qualquer imóvel para ver seu dinheiro crescer.

Nos últimos anos, as aplicações que mais se valorizaram e ofereceram retornos mensais foram às ligadas a fase de construção, principalmente de empreendimentos como shoppings, universidades, hospitais e complexos empresariais. Mas como comprar um shopping center e participar desta valorização?

A resposta está nos fundos de investimentos imobiliários (FII), que são fundos administrados profissionalmente por empresas especializadas, que através do capital investido dos seus cotistas, realiza investimentos diversos no setor imobiliário. Cada FII é constituído para um objetivo específico, seja ele construção, aluguel, etc. Os FII permitem que o investidor selecione a modalidade de aplicação e perfil de investimento antes de alocar o seu capital, assim como, que avalie precisamente a qualidade de seus gestores e administradores.

Os FIIs funcionam como um fundo de investimento normal, onde o investidor percebe a valorização do seu capital com o crescimento da cota (que cresce conforme valorização do empreendimento). Além deste crescimento, o investidor dos FIIs recebem mensalmente os aluguéis referentes ao empreendimento (igual a modalidade física).

Os FIIs tem larga vantagem frente aos investimentos físicos em imóveis. Por exemplo, os ganhos mensais (no mínimo 95% do lucro líquido mensal) são pagos na conta do investidor todo mês isentos de imposto de renda, enquanto nos investimentos físicos podem ir até 27,5% dos ganhos mensais. Outra grande vantagem é a liquidez e mobilidade. Como os FIIs são negociados na BMF&Bovespa, as cotas podem ser vendidas a qualquer momento e com custo de corretagem de 0,5%, frente aos até 6% dos investimentos físicos.

Confesso que como consultor de investimentos o que mais me agrada no modelo de aplicação nos fundos de investimentos não são os altos pagamentos mensais (que nos melhores FII está entre 0,8 e 1%), nem a isenção de IR nos rendimentos mensais, nem o baixo custo operacional e também não é a liquidez diária de negociação nem a possibilidade de ser sócio dos maiores empreendimentos do país, mas sim os juros compostos. Isso mesmo, os juros compostos. Como a maioria dos FIIs estão negociados em cotas próximas a R$100, a cada mês, o investidor pode reaplicar o que recebe dos aluguéis do fundo em novas cotas e com isso produzir ganhos compostos (o que não poderia ser feito no investimento físico, já que não é possível comprar um outro imóvel inteiro com o valor dos aluguéis).

Com esta característica, o investidor consegue associar os ganhos compostos dos instrumentos financeiros com a segurança e tradição do investimento imobiliário. Gostou? Então não perca mais tempo, busque um especialista, conheça as opções e seja dono dos maiores empreendimentos do país.

Por Rafael Bastos

Fonte: Gente&Mercado