Modelo automatizado é implantado pela Caixa para aprovação de crédito e tem convênio com imobiliárias

fevereiro 6, 2012 by lmenezes · 691 Comments
Filed under: CEF 

RIO – A ideia é que funcione bem parecido com uma concessionária de automóvel: o cliente resolve quase tudo na loja. Seguindo a estratégia de expansão do projeto de correspondentes negociais, que já conta com 296 parceiros na cidade do Rio, a Caixa Econômica está implantando o chamado “modelo automatizado de crédito imobiliário”. A ideia é dar mais agilidade à avaliação de risco de crédito e à consequente aprovação, ou não, dos financiamentos habitacionais. Todas as informações do candidato a mutuário são transmitidas pela corretora para o banco via web, tornando o processo mais rápido.

O comprador só tem de ir a uma agência da Caixa num último momento do processo, para que o gerente do banco assine o contrato. Por enquanto, no Rio, 12 imobiliárias estão começando a operar como piloto desse novo formato de correspondente. No Brasil, já são 585 atuando no modelo automatizado. De acordo com a superintendente regional da Caixa no Rio, Nelma Tavares, o projeto deverá ser expandido para todas as parceiras.

A ideia é que funcione como o crédito para a compra de automóveis, em que o cliente resolve tudo na loja. A expectativa é atingir um número maior de pessoas, dobrando o volume de financiamentos por correspondente.

O novo modelo, segundo a Caixa, contribui para a redução de custos e agilização do processo, uma vez que toda a parte operacional é repassada ao correspondente e não induz a retrabalhos nas agências da instituição. Se toda a documentação estiver correta, a aprovação do financiamento poderá ser feita em 48 horas. Mas nenhum dos critérios do banco será flexibilizado no processo: toda avaliação de risco, da capacidade de pagamento e do imóvel continuam a cargo da Caixa, o que é considerado essencial para garantir a baixa inadimplência na habitação.

Fonte: O Globo

Prazo de liberação do financiamento só depende da documentação completa

fevereiro 6, 2012 by lmenezes · 585 Comments
Filed under: CEF 

Erros na documentação ou demora em obter as informações são os fatores que mais atrasam aprovação de crédito.

Uma das maiores dificuldades de quem inicia o processo para contratar um financiamento imobiliário é reunir toda a documentação necessária à aprovação do crédito. Erros na documentação ou demora em obter as informações necessárias podem fazer com que a assinatura do contrato demore de 30 a 90 dias.

Para quem não tem muito tempo disponível, nem conhecimento específico para organizar os documentos, o assessoramento de uma consultoria especializada pode reduzir substancialmente o tempo de aprovação para um prazo de 15 a 20 dias. A entrega da documentação em ordem é uma das etapas mais importantes na concessão do financiamento imobiliário, afirma Alexandre Pádua, diretor da consultoria FPS Negócios Imobiliários, empresa que presta serviço de consultoria na obtenção da documentação e assessoria técnica para formalização de operações de financiamento imobiliário.

O primeiro passo para ter acesso ao financiamento é realizar, numa agência bancária, uma simulação, por meio da qual são informadas as taxas de juros e todas as condições de pagamento.

A partir do momento em que o cliente decide, de fato, tomar o financiamento imobiliário, é preciso apresentar seus documentos pessoais e de renda para fins de aprovação do crédito. Aprovado o crédito, o próximo passo é a avaliação do imóvel a ser financiado, feita por um engenheiro indicado pela instituição financeira, bem como a apresentação da documentação dos compradores, vendedores e do imóvel objeto do financiamento, incluindo documentos pessoais e certidões cartorárias que comprovem a regularidade da venda e compra.

Recebida a documentação, a instituição financeira verifica se há restrições que possam colocar em risco a operação, como por exemplo: ações judiciais contra o vendedor, penhoras, dívidas sobre o imóvel, etc.

Estando tudo em ordem, o contrato é emitido pela instituição financeira e, após a assinatura das partes, é recolhido o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e levado ao cartório de registro de imóveis competente para o registro da venda e compra e da garantia do financiamento. Somente após o registro do contrato é que o dinheiro é liberado para o pagamento do vendedor.

Considerando as várias fases do processo de financiamento, bem como a possibilidade de existirem situações a serem esclarecidas para a aprovação definitiva da operação, a contratação de uma empresa especializada em consultoria imobiliária se mostra uma opção interessante para quem não abre mão de agilidade e segurança. Apesar de o prazo variar de instituição para instituição, se houver problema na documentação, o processo de liberação do financiamento pode durar meses, finaliza Pádua.

Fonte: ImovelWeb