Brasil tem recorde de capital estrangeiro em imóveis.

novembro 3, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: Economia 

Estudo da Ernst & Young diz que o País está à frente de EUA e China. Em dez anos, o PIB do setor poderá chegar a R$ 270 bilhões

Neste ano, o mercado de imóveis no Brasil atingiu presença recorde de capitais vindos do exterior, aponta o estudo “Real Estate Report”, feito pela Ernst & Young Terco. Anualmente, projetos imobiliários correspondem a um montante entre R$ 5 bilhões a R$ 10 bilhões em investimentos estrangeiros e o PIB (Produto Interno Bruto) do setor pode chegar a R$ 270 bilhões em menos de dez anos.

O estudo diz que existe um déficit no mercado imobiliário e que para reduzi-lo seria preciso investir todo ano R$ 18 bilhões até 2030. “Isso para dar conta do déficit acumulado, sem considerar as necessidades de renovação de imóveis e fatores demográficos, como o crescimento populacional e a redução de habitantes por moradia”, diz o diretor de Fusões e Aquisições para o setor imobiliário da Ernst & Young Terço, Viktor Andrade.

Entretanto, a pesquisa ressalta os pontos positivos no cenário, como a grande demanda e o aumento da renda, além da maior lucratividade alcançada por quem constrói no País. “A margem bruta operacional do mercado imobiliário no Brasil é quase o dobro do que em países como Estados Unidos e China”, mostra o estudo, elogiando também o sistema de financiamento habitacional brasileiro “mais seguro, que impede grande parte das atitutes que levaram o mercado norte-americano ao colapso em 2008 – como a possibilidade de financiar mais de uma vez o mesmo imóvel”.

No mundo

Apesar de o mundo estar em crise financeira global, o Brasil continua bem no recebimento de investimentos estrangeiros, aparecendo à frente da Alemanha, França, Canadá, Índia e Japão, além dos já citados EUA e China.

Confiança

A pesquisa entrevistou líderes de multinacionais estrangeiras, apontando que 60% deles acreditam em um cenário positivo para investimentos no País em um futuro próximo. Outros 30% esperam um crescimento expressivo do mercado imobiliário e de construção já nos próximos dois anos.

Construções verdes

O estudo mostrou que o Brasil ocupa o 4º lugar do ranking mundial de construções verdes, com 51 prédios certificados e 525 em processo de certificação, atrás apenas dos Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos e China, evidenciando que o País tem acompanhado as tendências dos maiores mercados mundiais.

Por Heraldo Marqueti Soares

Casas para vender com varandas gourmet.

julho 4, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: Arquitetura 

A palavra gourmet tem ascendência francesa e o seu significado original designava os bons apreciadores de vinho, os verdadeiros conhecedores. Atualmente já faz parte do vocabulário português e alargou o seu âmbito a tudo o que se relaciona com os prazeres da mesa, sempre na perspectiva da autenticidade e da qualidade.

A varanda ampla se tornou uma extensão da sala e também da cozinha. Quando tem equipamentos (a moda é ir além da churrasqueira) como cooktop, forno, bar é um espaço destinado a apreciação de uma boa comida e bebida, com uma tendencia brasileira de acontecer ao ar livre decorrente do nosso clima tropical.é chamada de varanda gourmet.

Casas para venda com luminárias para sala de jantar.

maio 25, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: Decoração 

Para que a sala de jantar seja funcional, a harmonia  e o espaço  para a boa circulação  são  fundamentais.  O ideal é o uso de poucas peças  bem dimensionadas, com destaque para a mesa,  que determinará o estilo.

Mais importantíssimo é ainda a escolha da luminária pendente que deve dar ao espaço  aconchego e conforto.  Lembre-se de que a iluminação produzida pela peça deve ser aconchegante e não muito forte. O ideal é contar com um dimmer para que possa regular a intensidade de luz para cada momento.

Para não errar na escolha deste acessório, leve em consideração o tamanho e o formato da sala e da mesa de jantar.

O pendente deve ser centralizado sobre a mesa, deve ter um tamanho  proporcional a ela e estar, mais ou menos, a 80cm de altura em relação ao tampo. Porém, uma maneira de diferenciar a sua sala é usar mais de um ponto de luz com pendentes. Vejam nas fotos algumas ideias usando 2, 3 ou mais pendentes sobre a mesa…

Um beijo

Bianca

Postado em decoração e Bem Estar

Feirão da Casa Própria supera as expectativas da Caixa

maio 21, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: CEF 
Volume de negócios demonstra que o mercado imobiliário continua bastante aquecido

21 de maio de 2012 - O movimento do Feirão da Casa Própria deste ano em São Paulo foi maior do que o esperado pela Caixa, que promove o evento. Entre sexta-feira (18) e sábado (19), passaram pelo Centro de Exposições Imigrantes, na zona sul da cidade, cerca de 45 mil pessoas. “A presença está superando as expectativas, está muito cheio”, disse o superintendente da Caixa em Osasco (SP), Álvaro Barbosa Júnior.

O volume de negócios demonstra, na avaliação do superintendente, que o mercado imobiliário continua “bastante aquecido”. Foram fechados ou encaminhados 13 mil contratos, que somam R$ 1,6 bilhão em negócio, de acordo com o último balanço do feirão, divulgado na noite de sábado (19).

Barbosa destaca que o valor já é significativo, levando-se em consideração que representa apenas dois dias de negociações, sem considerar o balanço final que vai incluir o domingo (20), quando termina o esforço de vendas. A previsão da Caixa é emprestar R$ 90 bilhões em crédito imobiliário ao longo de 2012 em todo o país.

De acordo com Barbosa, os imóveis mais procurados são os enquadrados no Programa Minha Casa, Minha Vida, de habitação popular. Este ano, 15,2 mil das 220 mil unidades oferecidas pelo mercado no feirão se enquadram no programa do governo federal.

O número de negócios também aumentou por causa das recentes reduções nas taxas de juros oferecidas pelo banco estatal. “A redução da taxa de juros trouxe um componente muito forte para o mercado”, disse Barbosa. Com juros mais baixos, os compradores conseguem encaixar prestações de imóveis mais caros no orçamento familiar, estimulando ainda mais as vendas. As informações são da Agência Brasil.

Fonte: Investimentos e Notícias

Investidores preferem investir em imóveis comerciais nos últimos anos

março 31, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: investidor 

Investidores com mais de US$ 25 milhões no caixa escolheram comprar imóveis comerciais nos últimos anos, revela um estudo sobre riqueza feito pela consultoria Knight Frank e pelo Citi Private Bank. O dinheiro privado investido em escritórios, que somava US$ 41,6 bilhões em 2009, chegou a US$ 70,6 bilhões em 2011. Isso significou uma alta de 69,7% nesse tipo de investimento, num período em que o PIB global cresceu 9,62%.

No ano passado, 51% dos ricos afirmam ter ficado mais interessados em escritórios, diz o estudo. “Os investidores estão cientes de que um ponto de inflexão deve acontecer a qualquer momento na economia. Propriedades compradas pelos preços atuais irão parecer um bom negócio”, diz James Roberts, chefe de pesquisa comercial da Knight Frank.

Londres foi a capital que mais chamou a atenção dos investidores endinheirados. O volume de fundos investidos na cidade chegou a R$ 26,5 bilhões em 2011. Os investidores globais consideram a cidade um porto seguro para o dinheiro, além de a maioria ter como língua nativa ou segundo idioma o inglês. Paris, Frankfurt e Hong Kong também aparecem como destaques.

“Eu aconselho investidores estrangeiros, a maioria do oriente, que querem comprar em Londres. Muitos ficam surpresos com a competição que encontram por lá, onde se deparam com muitos outros compradores estrangeiros de participações”, diz Jeremy Waters, sócio no departamento internacional da Knight Frank.

O estudo pondera que parte desses investidores tirou vantagem da queda no preço dos imóveis após a crise de 2008, o que ajudou a elever o investimento em escritórios.

Fonte: iG São Paulo

Registro de incorporação pode ajudar a comprovar a veracidade da publicidade do imóvel

março 26, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: incorporadores 

Uma grande dor de cabeça na compra do imóvel na planta pode ser a falta de registro de incorporação do empreendimento, que pode ajudar comprovar a veracidade da publicidade do imóvel

O profissional autônomo Giovani Queiroz comprou seu apartamento em abril de 2009 e em dezembro do mesmo ano já estava morando nele. Pouco tempo depois, Giovani precisou vender o apartamento e só então se deu conta do risco que estava correndo, e que estava impedido de efetuar a venda. A construtora responsável pela obra não havia emitido o registro de incorporação imobiliária, que regulariza a comercialização dos apartamentos.
De acordo com o vice-presidente da área de Imóveis do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon), André Monteiro, o registro de incorporação, emitido pela construtora junto ao Cartório de Registro de Imóveis, é crucial para qualquer compra e venda de imóveis.

Ele comprova a veracidade das informações contidas na publicidade do empreendimento, assim como garante que o projeto está aprovado em conformidade com as exigências legais. Além disso, assegura o cumprimento de requisitos obrigatórios, como posse do terreno, certidões negativas, regras do condomínio, memorial descritivo e o quadro de áreas do empreendimento.

Sentindo-se lesado, Giovani procurou respostas e encontrou ainda outras irregularidades na construção do prédio. Ele entrou com ação judicial contra a empresa envolvida. Por isso, o presidente da Comissão da Defesa do Consumidor da OAB-CE, Hércules Amaral, ressalta a importância de se conhecer a reputação das incorporadoras. “É válida a cautela em consultar junto ao sistema de informações do Ministério da Justiça o histórico de reclamações dirigidas a cada construtora”.

Já a bancária Ana Cecília Praxedes comprou seu imóvel em 2010, confiando-se na reputação das grandes empresas envolvidas. O prazo estipulado para entrega das chaves era para o mês de abril deste ano. Ela veio pagando mensalmente as prestações pelo apartamento, previsto para construção no Maraponga.

Ao procurar informação sobre o andamento das obras, foi informada que o empreendimento sequer começou a ser construído, e ainda não havia previsão de início das obras. “Onde vou morar? E quanto tempo perdi pagando um imóvel de uma empresa ‘séria’? E meus planos? Meus sonhos?”, registrou em seu mural no Facebook.

Atrasos

Segundo André Monteiro, existem atrasos legalmente aceitáveis. Ocasiões especiais como intempéries, greves de funcionários, falta de abastecimento de material no mercado, entre outros eventos, que necessariamente devem ser apontados no diário de obras.

“Assim como existem os atrasos injustificáveis. Que ocorrem em função da má gestão da construtora, que não soube gerir a obra, por pura imperícia ou porque não estava pronta para construir”, complementa.

De acordo André, outra grande vilã nos atrasos e demais problemas com as construções é a carência de mão de obra. “Elas (as construtoras) estão combatendo isso através de treinamentos em canteiros e investindo em novas tecnologias, para otimizar o trabalho a mão de obra”. (Bárbara Almeida, Especial para O POVO)

ENTENDA A NOTÍCIA

O registro de incorporação imobiliária é obrigatória e essencial para que o incorporador possa negociar as unidades autônomas. Ele é concedido somente se a incorporadora tiver em mãos um dossiê com vários documentos e informações sobre o empreendimento.

SAIBA MAIS

O comprador que se sentir lesado, segundo o presidente da Comissão da Defesa do Consumidor da OAB-CE,Hércules Amaral, pode se valer da Lei 8078/90, do Código de Defesa do Consumidor, assim como pode acionar o Procon, o Juizado Especial (para imóveis inferiores a 40 salários mínimos) e a Justiça Comum. No entanto, a indicação do Sinduscon é de que o comprador experimente fazer acordos administrativos com a incorporadora. “O importante é ter um bom relacionamento entre ambos, para que as pessoas se planejem e se protejam. Uma boa comunicação entre as partes sempre é a melhor solução”, aconselha o vice-presidente do Sinduscon-CE, André Monteiro.

Números

30% é o percentual de economia que pode chegar ao bolso do consumidor que optar pela compra de imóvel na planta

0,67% foi a variação do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-M) do mês de janeiro. O índice é utilizado para reajustar as parcelas dos contratos de imóveis na planta

1% foi a variação do IGP-M do mês de fevereiro, calculado pela FGV. É através deste índice que o valor do imóvel pronto é reajustado

Fonte: O Povo Online

O “boom” imobiliário começa a sofrer Ressaca

março 11, 2012 by lmenezes · Comentários desativados
Filed under: Economia 

O mercado imobiliário começa a sentir a ressaca do boom (2007/2010). A retração de lançamentos para o equilíbrio de oferta foi o primeiro sintoma. Agora a redução das vendas define o diagnóstico. Depois da “boomnança”, é hora dos ajustes.

Belo Horizonte é a cidade que apresenta até o momento o quadro mais grave. Segundo levantamento do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon-MG), a venda de imóveis novos caiu 39,91% na comparação de 2011 com 2010. Foram comercializadas 3.726 unidades no ano passado contra 6.201.

Não tão drástico quanto o de Belo Horizonte, o desempenho do mercado de São Paulo também foi negativo, o pior desde 2005. Segundo pesquisa do Secovi-SP, os 28,4 mil imóveis novos vendidos na capital paulista em 2011 representaram um volume 21,2% inferior ao resultado de 2010. A diminuição da quantidade refletiu na movimentação financeira, inferior em 15,3% no comparativo entre os dois anos.

E Salvador? Ao contrário de períodos anteriores, no último biênio, a Ademi-BA, entidade responsável pela pesquisa de mercado, não tem divulgado os dados da capital baiana, embora o Sebrae-BA tenha alocado recursos para o desenvolvimento de um novo sistema para o levantamento das informações.

A expectativa era que o novo sistema, já implantado, fosse dar mais celeridade à pesquisa. Ledo engano. O BNI há várias semanas vem tentando obter informações sobre o mercado com um dirigente da Ademi-BA, mas até hoje necas e pitibiribas.

Por Pacheco Maia

Fonte: Bahia Notícias

Investimento em imóveis comerciais cresce no país

outubro 7, 2011 by lmenezes · 1.446 Comments
Filed under: Economia 

Por Rafael Matos]

O volume de investimentos em imóveis comerciais de alto padrão no Brasil atingiu R$ 4,6 bilhões neste ano até o terceiro trimestre, segundo a Jones Lang LaSalle.

O valor já é 77% superior ao total investido no ano passado inteiro, segundo André Rosa, diretor da consultoria no Brasil. Neste ano, o valor dos aluguéis dos escritórios em São Paulo deve apresentar alta entre 5% e 10%, segundo a consultoria.

A valorização dos preços dos imóveis será maior, entre 10% e 20%, o mesmo percentual de cidades como Nova York, Paris e Londres. “O mercado brasileiro de escritórios de alto padrão ainda é pequeno na comparação com o de outros países. Cresce, porém, o interesse dos investidores.”

Imóveis comerciais
Conheça as salas comerciais do Royal Office Jardins.

No mundo, o volume de investimento direto em imóveis comerciais deve crescer de 25% a 35% em 2011, segundo a consultoria. Os investimentos globais devem atingir US$ 370 bilhões, acima da projeção para este ano, de cerca de US$ 280 bilhões.

Fonte: Folha de São Paulo

Prêmio O Melhor da Arquitetura 2011 tem inscrições prorrogadas até dia 4 de julho

junho 30, 2011 by lmenezes · 984 Comments
Filed under: Arquitetura 

A quarta edição do prêmio O Melhor da Arquitetura, promovido pela revista ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO, passa a contemplar projetos de caráter industrial, em Edifícios Institucionais, e de reformas de casas e apartamentos, na categoria Residencial

As inscrições para o Prêmio O Melhor da Arquitetura 2011, promovido pela revista ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO, da Editora Abril, foram prorrogadas para até dia 4 de julho. A premiação tem como objetivo destacar a criatividade dos profissionais, os projetos inovadores, as soluções sustentáveis, os aspectos técnicos e estéticos, além de revelar as tendências em arquitetura e urbanismo que promovem a qualidade de vida nos espaços públicos, ambientes de trabalho, espaços comerciais e residenciais.

“O prêmio vem se consolidando a cada ano, graças ao reconhecimento por arquitetos renomados e também ao empenho em atrair jovens talentos do mercado”, destaca Lívia Pedreira, publisher do Núcleo Casa e Construção da Editora Abril. Em 2010, foram 347 projetos inscritos, 64 finalistas (que foram selecionados pela redação e submetidos a um júri de nove profissionais e formadores de opinião) e 22 premiados. A definição dos vencedores leva em conta também a votação dos leitores e internautas: o ano passado foram 26 mil votos pela Internet.

Segundo Livia, a expectativa este ano é ampliar ainda mais a participação dos arquitetos de todo o país e mostrar a diversidade de soluções e a riqueza da produção arquitetônica nacional. “Por essa razão, nesta edição iremos contemplar projetos de caráter industrial em Edifícios Institucionais e, a pedidos, abrimos possibilidades para reformas de casas e apartamentos na categoria Residencial”, destaca.

Devido à relevância do evento, neste ano, foi criado um portal – www.melhordaarquitetura.com.br – dedicado especialmente ao prêmio. Por meio desse canal, o internauta tem acesso ao regulamento e ao sistema de inscrições. Além disso, o site reúne depoimentos de finalistas, vencedores, galerias de fotos e vídeos das três edições anteriores.

Para valorizar e apresentar a um público amplo os destaques da premiação, está programada uma exposição dos projetos finalistas no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, entre os dias 7 e 20 de novembro. “Acreditamos que com esta mostra reafirmamos nosso compromisso em ampliar o espaço de discussão sobre a arquitetura no Brasil”, pontua Livia.

Inscrições gratuitas até 4 de julho
O prazo para a entrega dos trabalhos vai até o dia 4 de julho de 2011. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas via Internet (www.melhordaarquitetura.com.br) por meio do preenchimento do ,formulário, da ficha técnica e entrega do material para seleção prévia (1ª fase), conforme as regras expostas no regulamento. Os critérios básicos de avaliação da Comissão Julgadora são: inovação, solução plástica, implantação e integração com o entorno, sustentabilidade ambiental, acessibilidade, conforto termoacústico e materiais. Haverá também a votação via Internet na segunda fase da premiação.

Os vencedores (um por categoria) receberão o troféu O MELHOR DA ARQUITETURA 2011, além da publicação dos projetos na revista ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO e participarão da exposição no Museu da Casa Brasileira, juntamente com os demais finalistas. Os projetos arquitetônicos inscritos devem se enquadrar nas 10 categorias da premiação e terem obras realizadas e concluídas no território nacional no período de 1º de janeiro de 2008 a 31 de maio de 2011.

As categorias do O Melhor da Arquitetura 2011 são: Intervenção Urbana; Retrofit; Edifícios Institucionais nas áreas de Educação, Cultura, Saúde, Lazer e Indústria; Edifícios Comerciais ou de Escritórios (limitados a até 4 pavimentos ou 500 m²; e acima de 4 pavimentos ou 500 m²); Escritórios (instalações e interiores); Hotelaria (hotéis e resorts); Bares, Restaurantes e Casas Noturnas; Lojas e Showrooms; Condomínios Residenciais unifamiliares horizontais ou verticais (limitados a até 5 pavimentos ou 3 000 m²; e acima de 5 pavimentos ou 3 000 m²); Residencial (Reforma – Casa ou Apartamento, Cidade, Praia e Campo).

Cronograma:
Inscrições: até 4 de julho (www.melhordaarquitetura.com.br)
Divulgação oficial de 3 finalistas por categoria: de 28 de julho a 1 de agosto
Entrega do material completo na 2ª fase: 1 a 22 de agosto
Votação pelo site: 9 de agosto a 22 de setembro
Votação pela Comissão Julgadora: 8 a 19 de setembro
Cerimônia de entrega dos prêmios: 31 de outubro
Exposição dos projetos vencedores no Museu da Casa Brasileira: 7 a 20 de novembro